O QUE É MEDIAÇÃO NA ESSÊNCIA

A mediação é um meio autocompositivo em que um terceiro imparcial auxilia as partes a alinhar seus interesses para chegar a uma composição. Uma das ferramentas utilizadas para essa finalidade é a escuta ativa, ou seja, o restabelecimento da comunicação ocorre quando uma parte respeita a fala da outra, ao ouvir atentamente a sua narrativa, sem a demonstração de comportamentos ofensivos.

Por ser um procedimento informal, sem a apresentação de documentos como provas, as informações são obtidas por meio de perguntas, cujas respostas não são fechadas em “sim” ou “não”. Os questionamentos são reflexivos à medida que levam as partes envolvidas no conflito (mediandos) a falar dos motivos pelos quais uma determinada atitude fora tomada e os sentimentos não considerados pelo outro.

Revela-se, então, uma oportunidade para que os conflitantes possam, em um ambiente neutro, discutir as questões que os preocupam, constatar o momento da falha na comunicação, além de compreender as emoções e as intenções positivas por trás de cada ação/reação, geradora dos desentendimentos. Então costuram um acordo segundo a sua realidade, os seus anseios, dentro de um padrão que não viole as leis (em sentido amplo) do país.

Convém ressaltar que não há influência nem sugestão direta pelo mediador para a tomada de decisões dos envolvidos, o que consolida o princípio do empoderamento das partes. Ao final, em essência, há o fortalecimento da relação entre os mediandos, a reconstrução do diálogo, a manutenção das relações e a divulgação da cultura de paz como uma realidade através da mediação.