A Mediação Escolar no Ensino Médio já está valendo?

Uma notícia veiculada no site www.infonet.com.br, um site de notícias da cidade de Sergipe, importante capital da região Nordeste do Brasil, chamou a nossa atenção:

“Novo ensino médio terá disciplinas de empreendedorismo e mediação”

Vibramos e nos preparávamos para comemorar, levando essa notícia até você, escrevendo um novo artigo sobre a nossa querida Mediação Escolar!

Assim, fomos buscar a Portaria, que segundo o artigo do site, havia sido lançada com essas informações, dia 05 de abril.

Porém, não encontramos nada  no Site do MEC :(.

homem com barba e oculos confuso

Continuamos buscando pela origem da notícia

Então, fomos procurar a fonte do Infonet e lá descobrimos que a matéria havia sido publicada primeiramente pela EBC (Empresa Brasileira de Comunicação, pública e existe desde outubro de 2007).

Esse site faz parte de uma estratégia do Estado para levar informação de qualidade ao cidadão. Vale a pena conhecer: http://www.ebc.com.br/., lá encontramos o seguinte:

“O novo ensino médio terá formação mais voltada para o empreendedorismo, a investigação científica, os processos criativos e a mediação e intervenção sociocultural. Estes são os eixos que vão orientar os chamados itinerários formativos, ou seja, as atividades que os estudantes poderão escolher. “

Em respeito aos nossos leitores, continuamos a buscar a origem da notícia e encontramos finalmente um arquivo no site do MEC sobre o Itinerário Informativo, a nova proposta para o Novo Ensino Médio. Ela objetiva atualizar as formas de conhecimento para fazer frente às novas necessidades dos alunos de hoje.

E para nossa tristeza, descobrimos que a MEDIAÇÃO aqui proposta não é a que nós nos propomos aqui, entre humanos em conflito, mas se trata de um conceito de mediação entre culturas e recursos naturais.

Confira abaixo a imagem retirada do site do MEC:

A iniciativa é louvável, mas aparentemente os responsáveis sobre o planejamento dessas novas diretrizes, ainda não reconhecem a necessidade e a importância de se promover a resolução adequada de conflitos desde o ensino básico.

Infelizmente ainda nos deparamos vez ou outra com notícias que tomam todo o País sobre alunos revoltados que entram armados em suas escolas, matando professores e alunos.

E obviamente que quando se investiga a fundo é sempre possível perceber que essa atitude foi resultado de um conflito mal gerenciado que se ampliou em sua espiral.

O aprendizado sobre Conciliação e Mediação para a resolução de conflitos certamente poderia ter aberto novos horizontes de possibilidades na vida desses e de muitos outros jovens por todo o País.

Mas e afinal essa nova ideia de Mediação não tem valor nenhum?

Certamente se esse projeto chegou a ser aprovado pelo Ministério da Educação ele tem o seu valor, buscando mais a fundo nós descobrimos que a Mediação Socio-cultural é uma iniciativa admirável!

Trata-se da promoção de estratégias e intervenções com o objetivo de integrar em uma sociedade todos aqueles que possam ser excluídos ou sofrer qualquer tipo de exclusão devido a fatores culturais e raciais.

Conheça o papel do Mediador Sócio-Cultural clicando no link.

Apesar de se tratarem de áreas bastante distintas, em sua essência elas são bastante semelhantes e quem sabe esse não seja um passo importante nessa nossa expectativa de ter a certeza de que nossos filhos estão aprendendo a gerenciar os seus conflitos, através da mediação escolar desde cedo?

E enquanto o sistema educacional não toma medidas realmente eficientes nesse sentido, cabe a cada um de nós contribuir para que essa cultura seja promovida em nossas crianças.

Precisamos colaborar com uma nova visão e uma profunda transformação na nossa sociedade, a partir do ensino mais básico: as nossas casas.

Vamos proporcionar uma educação realmente transformadora, para que as futuras gerações possam fazer pela sociedade e pelo nosso planeta aquilo que não conseguimos?

Se fizermos o nosso papel, ensinando a forma correta de se comunicar, de pedir e de expressar as suas emoções, estaremos deixando a melhor herança possível para as próximas gerações, curando uma ferida que atinge uma porcentagem alta demais dessa geração, e não podemos levar isso a frente.

Feridas essas que possuem sempre a mesma causa: a falta de autoconhecimento, a falta de comunicação, a inabilidade de auto-expressão e a competitividade.

Enquanto isso, continue nos acompanhando até que essa notícia finalmente seja lançada!

Faça parte dessa discussão: COMENTE e COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS!